Home / Curiosidades / Salto alto para bebês – fofura ou aburdo?

Salto alto para bebês – fofura ou aburdo?

 

Salto alto para bebês?? Como assim? É isso mesmo! A empresa norte-americana Pee Wee Pumps conta com uma linha de calçados com saltinhos para recém-nascidas.

 

Segundo a fabricante, estes calçados são voltados somente para bebezinhas de zero a seis meses, que ainda não andam.

Portanto, são apenas acessórios fashion, que oferecem o mesmo conforto que um sapatinho infantil comum.

 

Resultado de imagem para pee wee pumps

 

Os sapatinhos de salto da Pee Wee Pumps são para bebês de de até seis meses.

 

 

Os sapatinhos de salto da Pee Wee Pumps, que são confeccionados em tecido, custam entre R$ 29,99 e R$ 35,99 (aproximadamente de R$ 96 a R$ 116).

 

Os modelinhos são variados e possuem nomes como Glamurosa (com estampa de oncinha), Atrevida (na cor vermelha) e Diva (preto com bolinhas brancas).

 

Resultado de imagem para pee wee pumps

Estampas de onçinha e zebrinha.

 

Muitos consumidores não gostaram nada da ideia da Pee Wee Pumps…

Alguns afirmam que este tipo de calçado poderia estimular o amadurecimento precoce das meninas, já que o salto alto é fortemente associado à sensualidade feminina.

 

Resultado de imagem para pee wee pumps

 

Resultado de imagem para pee wee pumps

 

 

 

 

 

 

Fotos de divulgação da Pee Wee Pumps.

 

 

Apesar de dividir opiniões, a empresa Pee Wee Pumps já vendeu mil pares de sapatinhos de salto para bebês somente nos EUA e no Reino Unido.

 

A proprietária da Pee Wee Pumps, Michele Holbrook, garante que o produto não tem a intenção de ser sexy. “É um acessório de moda para uma mãe colocar em seu bebê”, diz. “Não é para ser ofensivo, de maneira alguma”.

Polêmico. Muito polêmico.

E você? O que acha?

 

Resultado de imagem para pee wee pumps

 

 

Sobre Ana Bernardinelli

Quem sou eu? Pergunta difícil, até porque ainda não encontrei a resposta. Mas, uma certeza é que desde muito cedo soube que queria escrever. Sobre tudo. Dos tempos em que brincava de “fazer jornal”, com o meu fictício “O Linguarudo”, até meus textos adolescentes em “Penúltima Palavra – porque a última é sempre da diretora”, o periódico da escola, fui confirmando meu desejo. Ainda cursando Jornalismo na Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, no coração da sempre incrível Av. Paulista, comecei a trabalhar na área. Já formada, passei por emissoras de rádio FM e AM. Também trabalhei em revistas – de automóveis, brinquedos e variedades, além de prestar serviços para empresas e entidades de classe com textos corporativos. Nos últimos anos, fui repórter do mais importante semanário da Zona Norte de São Paulo. Apaixonada por história da arte, cultura pop, música, cinema e literatura, tenho ainda um grande vício. Sim, confesso: sou sapatólatra. Em estágio avançado. E sem esperanças de cura. Simplesmente não resisto ao desejo de buscar novidades e curiosidades sobre este objeto que ultrapassa sua definição e se mistura com tantas emoções. Porque por trás de um belo par de sapatos, há sempre uma grande história. Aqui, no entanto, está a minha terapia! Vocês agora são meus convidados para esta aventura fashion! Ana Bernardinelli

Veja também...

Sandálias birken dividem opiniões, mas estão em alta…

    Não. As sandálias birken ou birkenstock não são uma unanimidade. Aliás, estão bem …

Deixe uma resposta

Conecte-se com:



O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *