Home / História / A lenda dos sapatinhos vermelhos como proteção para os bebês

A lenda dos sapatinhos vermelhos como proteção para os bebês

 

Quando um bebê nasce, é muito comum ser presenteado por alguém com sapatinhos vermelhos. Principalmente para a saída da maternidade. Para garantir proteção, saúde e felicidade – é o que diz a antiga tradição.

 

red boy

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em muitas culturas, a cor vermelha é associada à sorte, à prosperidade e à felicidade. Algumas tribos indígenas a usam como proteção contra a negatividade. No passado, noivas orientais usavam vestidos vermelhos para garantir longevidade aos casamentos.

A associação dos sapatinhos vermelhos aos bebês é bastante antiga e está baseada em lendas. A mais conhecida delas surgiu entre os povos ciganos.

Segundo a história, propagada de geração para geração, cada bebê escolhe um casal para ser seus pais. Mas, havia um que estava muito preocupado com sua nova experiência.

Ao perceber suas dúvidas, A Mestra, que tem o poder de sentir todas as coisas,  falou para ele: “Tenha confiança. Para que sua vida na Terra seja tranquila eu enviarei um amuleto sob a forma de presente, garantindo sua saúde e felicidade”.

O bebê nasceu então em uma família de ciganos europeus, conforme sua escolha. E o primeiro presente que recebeu foi um par de sapatinhos vermelhos que ele usou e guardou para sempre.

Quando adulto, tornou-se muito conhecido e respeitado por todos em sua comunidade, assim como seu amuleto. A partir de então, a tradição de dar sapatinhos vermelhos para os recém-nascidos se espalhou pelos cinco continentes, entre os mais diferentes povos.

 

 

 

 

 

Sobre Ana Bernardinelli

Quem sou eu? Pergunta difícil, até porque ainda não encontrei a resposta. Mas, uma certeza é que desde muito cedo soube que queria escrever. Sobre tudo. Dos tempos em que brincava de “fazer jornal”, com o meu fictício “O Linguarudo”, até meus textos adolescentes em “Penúltima Palavra – porque a última é sempre da diretora”, o periódico da escola, fui confirmando meu desejo. Ainda cursando Jornalismo na Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, no coração da sempre incrível Av. Paulista, comecei a trabalhar na área. Já formada, passei por emissoras de rádio FM e AM. Também trabalhei em revistas – de automóveis, brinquedos e variedades, além de prestar serviços para empresas e entidades de classe com textos corporativos. Nos últimos anos, fui repórter do mais importante semanário da Zona Norte de São Paulo. Apaixonada por história da arte, cultura pop, música, cinema e literatura, tenho ainda um grande vício. Sim, confesso: sou sapatólatra. Em estágio avançado. E sem esperanças de cura. Simplesmente não resisto ao desejo de buscar novidades e curiosidades sobre este objeto que ultrapassa sua definição e se mistura com tantas emoções. Porque por trás de um belo par de sapatos, há sempre uma grande história. Aqui, no entanto, está a minha terapia! Vocês agora são meus convidados para esta aventura fashion! Ana Bernardinelli

Veja também...

Sandálias divertidas para entrar em 2017 com o pé direito!

2016 não foi um ano fácil, não é mesmo? Mas, calma… está acabando! Agora, é …

One comment

  1. Muito fofa essa lenda dos sapatinhos vermelhos…Comprei um sapatinho de menina lindo na Macbebe e tem um facebook oficial do autor da lenda…LendaSapatinhosVermelhos

Deixe uma resposta

Conecte-se com:



O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *