Home / Curiosidades / Corrida de salto alto – Girl power!

Corrida de salto alto – Girl power!

Quando o filme Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros foi lançado em 2015, um detalhe inusitado chamou mais a atenção do público do que a produção em si. Na época, muito se falou, criticou e até ridicularizou o fato da personagem Claire (Bryce Dallas Howard) passar o tempo todo fugindo das imensas e aterrorizantes criaturas… calçando sapatos de salto alto.

Não houve uma única entrevista em que a atriz não tivesse que voltar ao assunto e reafirmar que não considerava tão improvável assim que uma mulher conseguisse este feito. Em uma delas, no The Late Show with James Corden, ela estava acompanhada pelo ator Chris Pratt, com quem contracena no filme. E ele, divertidamente, não se fez de rogado: calçou scarpins vermelhos para provar que, sim, é possível correr com salto alto…

Claire estava fugindo de dinossauros. Pois é, dinossauros. Afinal, cinema é fantasia. Mas, improvável mesmo era que conseguiria isto usando salto alto… Isto sim seria irreal. Vai entender a lógica… Enfim…

Eu me lembrei disto agora porque dia desses assisti um desses vídeos que circulam pelas redes sociais que mostrava uma corrida em que só era permitida a participação de mulheres com sapatos de salto alto. Isto mesmo. Na realidade. De verdade. Não no cinema. E não podia ser qualquer salto. A regra da Stiletto Run – sim, este é o nome da inusitada modalidade – estabelecia altura mínima de sete centímetros.

Para percorrer a distância de 50 metros, muitas participantes prenderam os calçados com fita adesiva nos pés.

O evento foi realizado na primavera de 2014, Tbilisi, na Geórgia. Mas, a iniciativa não foi nenhuma novidade, não. Em 2013, uma corrida nos mesmos moldes foi realizada em Constanta, na Romênia. Em 2011, em Moscou, na Rússia. Em 2010, em Sidney, na Austrália. E tantos outros lugares: Berlin, Nova York, Lisboa…

Nem precisa ir tão longe. Em setembro de 2011, uma famosa marca de palmilhas e protetores para os pés promoveu uma corrida de salto alto aqui no Brasil, em São Paulo. O percurso aqui foi de cem metros. Mulheres corajosas. Girl Power!

Este tipo de evento só comprova a força e a determinação das mulheres, que enfrentam obstáculos sem descer do salto. Muitas vezes, literalmente.

Em todas as edições de Stiletto Run, muitas participantes correm com impressionante equilíbrio. Mas, sim, os tombos são muitos. Pois é. A brincadeira é divertida e diz muito sobre a natureza guerreira das mulheres. Mas, oferece riscos. E muitos. Então, cuidado.

Especialistas alertam para os reais riscos oferecidos por atividades físicas sobre os saltos. Estes calçados não são de forma alguma adequados para absorver o impacto de uma corrida. Além disso, não oferecem o equilíbrio necessário, possibilitando quedas e lesões, muitas vezes graves.

Muita calma nessa hora: a brincadeira pode ser divertida, mas oferece risco real de quedas, torções ou lesões graves

Sobre Ana Bernardinelli

Quem sou eu? Pergunta difícil, até porque ainda não encontrei a resposta. Mas, uma certeza é que desde muito cedo soube que queria escrever. Sobre tudo. Dos tempos em que brincava de “fazer jornal”, com o meu fictício “O Linguarudo”, até meus textos adolescentes em “Penúltima Palavra – porque a última é sempre da diretora”, o periódico da escola, fui confirmando meu desejo. Ainda cursando Jornalismo na Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, no coração da sempre incrível Av. Paulista, comecei a trabalhar na área. Já formada, passei por emissoras de rádio FM e AM. Também trabalhei em revistas – de automóveis, brinquedos e variedades, além de prestar serviços para empresas e entidades de classe com textos corporativos. Nos últimos anos, fui repórter do mais importante semanário da Zona Norte de São Paulo. Apaixonada por história da arte, cultura pop, música, cinema e literatura, tenho ainda um grande vício. Sim, confesso: sou sapatólatra. Em estágio avançado. E sem esperanças de cura. Simplesmente não resisto ao desejo de buscar novidades e curiosidades sobre este objeto que ultrapassa sua definição e se mistura com tantas emoções. Porque por trás de um belo par de sapatos, há sempre uma grande história. Aqui, no entanto, está a minha terapia! Vocês agora são meus convidados para esta aventura fashion! Ana Bernardinelli

Veja também...

Para a Mulher Maravilha que existe em todas nós!

    Como não citar a Mulher Maravilha em um momento em que tanto se fala …

Deixe uma resposta

Conecte-se com:



O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *